28 abril 2011

Vida-Natureza



Sublime aurora que em vestes claras levaste a flora,
Ao longo riacho, peixe pequeno, 
Fluxo do pescador que se assemelha veneno.
Vive no luto de arvoredo singelo.
Luz, engana o machado que mata sem positivo anelo.
Vive óh Mãe, 
Mãe de todas as mães, 
Mães fortes, que latem como cães em fúria contra anti-mães
São eles,mal-feitores, que destroem e ainda se sentem atores, 
Só que os 'tais', contracenam com a maldade, enquanto que deveriam, 
Em respeito ao cenário, usar a liberdade, que em breve, terão saudade!










(um desabafo em favor da fauna/flora)

12 comentários:

AnaXimenes disse...

adorei seu blog.
volte sempre no meu.
beijão ..

"Em respeito ao cenário, usar a liberdade, que em breve, terão saudade."

MARILENE disse...

Nossa mãe natureza está mesmo muito maltratada, senão abandonada, nas mãos de predadores insensíveis que hão de lamentar a sua inequívoca revolta, que já tem sido manifestada.
Bjs.

Jens disse...

Oi, Catia B.
Vida-Natureza ou Revolta das Mães? Hummm...
Seja como for, trata-se de um poema vigoroso. Nem por isto menos belo.

Beijo pra você. Ao som das Flores de Outono, de Vivaldi.

✿ chica disse...

Que coisa linda,Cassia! beijos,dia lindo por aí!chica

Ives disse...

Olá, a natureza é a mãe do amor! abraços

Tatiana Kielberman disse...

Muito importante e fundamental essa conscientização que você nos traz nessas linhas, Cátia!

Quem dera todos tivessem tal noção!

Beijos e parabéns, adorei!

Fabiola disse...

Olá querida Cátia,
Mãe Natureza que tem mostrado sua ira diante dos desmandos de quem dela retira sua essencia. Enfim, nosso trabalho é de formiguinha, mas preservar é preciso ! Beijos, bom dia para você ! Fabiola.

Noe* disse...

Que bom que ficou. Volte mais vezes ;)

Beijos =*

Vera Lúcia Duarte disse...

Catita,
Que bela maneira de expressar seu grito contra os
desatinos aplicados à natureza.
Bejim.

silvioafonso disse...

.

Eu nem quero saber por quem os
sinos dobram. Por quem rufam
os tambores, mas importa sim
por quem chora a mulher que
gosto, por que gosto ou tenho
amores...

silvioafonso





.

F.H.Canata disse...

Olá Catita!

Que belíssimo texto em nome da natureza! Um pedido de socorro que deve ser ouvido pelos corações de todos nós, enquanto ainda há esperança e tempo!
Adorei!

bjs!

Canata

Lourdinha Vilela disse...

Perfeito. E a saudade não tarda.